quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

FASA Corporation e o Battletech


      No inicio da década de 90 se você morava no Brasil e tinha interesse em jogos de guerra ou ficção científica você estava encrencado, ou você jogava o jogo de tabuleiro Alerta Vermelho, Invasão da Nave StarTramp ou ficava chupando o dedo.

Logo 1983


       Para os jogadores com mais condições, aqueles que podiam importar os jogos lá de fora a história era outra, mas mesmo para esses, havia um problema, comprar que jogo? Neste período ou você comprava revistas sobre o assunto para ficar sabendo das novidades dos jogos e das empresas ou tinha que ter um amigo bem descolado no assunto!


                          Foto recente do Sr. Jordan Weisman, criador do Battletech


       Criada em 1980 por Jordan Weisman e L. Ross Babcock III uma nova empresa chama FASA Corporation surgia no mercado. Mas talvez a maioria dos leitores não saiba exatamente porque falar da FASA, mas a ela foi uma das mais prolíficas empresas de hobbygames nos EUA até 2001, teve contratos de produção de miniaturas com empresas como a Ral Parta que produziu miniaturas para vários de seus jogos e ficou mundialmente conhecida pelo seu jogo mais famoso, o Battletech, mas não para por aí, entre os jogos mais famosos da FASA podemos destacar: BattleTech, Battletech RPG, MechWarrior RPG, Crimson Skies, Doctor Who, Earthdawn, Renegade Legion, Shadowrun, Star Trek, VOR the Maelstrom, Blue Planet, Demonworld, Fading Suns, entre outros.



      Tirei a poeira de uma das minhas caixas pré-históricas do Battletech da Imperium


       No Brasil, depois do Bum do RPG na década de 90, mais precisamente 1996 e com a implantação do Plano Real, os jogos importados deixaram de ser tão caros, e o mercado Brasileiro cresceu, quem ganhou com isso foram os jogadores, uma legião de fãs e hobbygames que finalmente puderam por as mãos em jogos novos e variados, mas a FASA teve outro papel nessa história.


 Não só de ataque a distância vive um Mech, as vezes os titãs do século 31 entram na porrada corpo a corpo!

       Uma solução muito comum no Brasil para os jogadores que não dominavam o Inglês eram os livros em português de Portugal, que na vanguarda em relação ao Brasil quando o assunto eram as traduções e lançamentos, tinha traduzido muita coisa, mas entre estes lançamentos tínhamos Battletech.

Os elementais, homens e mulheres alterados geneticamente para usar as Battlearmors são comuns Liga Livre!


       Lançado pela Imperium Jogos de Lisboa a moderna caixa preta com garrafais letras brancas em estilo futurista com uma bela ilustração na capa de um robô gigantes e infantaria, trazia no título: “Battletech Combates Titânicos no Século 31”, aquilo mexia com imaginação de muitos jogadores e o próprio Battletech era uma novidade fantástica em muitos elementos, vejamos:


                     1° - A caixa super completa vinha com, 48 marcadores de cartonado coloridos para montar com os Mechs e as insígnias de suas facções, clans e famílias, vinha com um livro de regras com introdução ao fantástico universo de Battletech (que diga-se de passagem, lembra muito o universo de Duna de Frank Herbert), 2 super-mapas coloridos com imagens de terrenos variados de montanhas a florestas, rios e vales e um livro só com planilhas dos Mechs para o jogador xerocar e jogar.

                     2° - Era um dos poucos jogos de guerra que não precisava de suplementos para ser jogado, e quando esses foram lançados eram realmente opcionais.

                     3° - Apresentava regras simples e permitia uma combinação entre seus jogos, como por exemplo o Mechwarrior RPG e o próprio Battletech que permitiam que os jogadores dividissem seu tempo de jogo entre controlar Mechs em combates titânicos e jogar o bom e velho RPG em um universo Cyberpunk com elementos do clássico Space Opera, a ação podia ser dividida entre o espaço, terra, intrigas de corte, missões de resgate e reconhecimento, enfim... infinitas possibilidades.


 Essa caixa vai para o próximo Saia da Masmorra, vou apresentar o Battletech a uma legião de infiéis! hahaha



       No Brasil e editora DEVIR lançou em 1998 a nova caixa básica do Battletech totalmente em português e com novidades fantásticas. Agora a caixa vinha com 3 livros, um de Regras, um de introdução ao cenários (totalmente colorido em papel couché ilustrado com belas imagens) e outro só com as novas planilhas dos Battlemechs, ainda vinha com as peças de cartonado, mas agora cortadas com faca especial no formado dos Mechs e os mega-mapas coloridos representando o campo de batalha. Mais uma vez um jogo de guerra completo na caixa para ser jogado por 2 ou mais jogadores.


Capa do novo Battletech RPG, mais cyberpunk, mais dinâmico!

       O spinoff mais importante que o jogo rendeu foi seu próprio jogo de RPG, que veio evoluindo ao longo dos anos e recentemente foi relançado com o título Classic Battletech RPG, pela WZ Games (mais conhecida como WizKids empresa que criou o MageKnight e vários wargames no estilo “click” e dententora dos direitos do Battletech da FASA).

Nobresa, outro elemento do cenário muito bacana em BTC-RPG. Rainha da Casa Steiner, aliada dos Sois Federados e casa Davion.


       Com um cenário revisado e avançado cronologicamente para se adaptar as novas tramas e histórias do universo que se expandio com os jogos eletrônicos e boardgames, os escritores do novo Classic Battletech apresentam no livro as regras clássicas com mudanças para facilitar os testes e retirar o foco dos livros anteriores das batalhas com os Mechs, trata-se do bom e velho universo do Battletech, mas temas e sistema mais voltado para a ação dos jogadores em mesa, que podem ser Engenheiros, Soldados, Elementais (Soldados alterados geneticamente para usar as Battle Armors), Comerciantes espaciais, Pilotos de Aeronaves e Astronaves, Pilotos de Tanks e Overs, Nobres, enfim, uma variedade maravilhosa de opções para os jogadores que além dos combates com os mechs podem se aventurar em ações de invasões, combates, testes sociais, testes especializados, características físicas e mentais, etc. O novo livro é belamente ilustrado e uma excelente opção para os jogadores que tinham sua caixa de Battletech em casa e agora podem tirar a poeira e usar seus Mechs em missões das mais variadas junto com seus PCs de ficção favoritos.


Cada casa e clan adaptou seus Mechs para cumprimir suas tarefas no campo de batalha

       A nova cara do Battletech Classic RPG com as miniaturas e regras do Battletech wargame geram uma mesa de jogo realmente divertida para mestres e jogadores, permitindo uma experiência de jogo que extrapola a mesa de RPG e vai para o Wargame e depois volta para o RPG, acabando com o tédio até do jogador mais hiperativo na mesa!
Miniaturas e cenário tornam o Battletech ainda mais divertido


       Para quem tem saudade dos lançamentos das FASA, ai vai uma notícia fantástica, a FASA Corporation voltou ao mercado de jogos e seus produtos novos e alguns antigos relançados podem ser comprados on-line no endereço abaixo:






       A FASA tem uma história fascinante e seus RPGs venderam e vendem ainda hoje bastante, alguns dos quais foram relançados como Shadowrun, Earthdawn e o Classic Battletech. 


 Terra, água, ar, os Battlenechs lutam em qualquer terreno!

      Foi uma das primeiras empresas de hobbygames a ter seus jogos de mesa transformados em sucessos de Computador e Videogames no ambiente virtual, a FASA saiu na frente com a Microssoft como parceira que lançou seus primeiros jogos, esses jogos eletrônicos com Mechs de combate entrando na porrada são lançados até hoje e são bastante divertido e apreciados pelo público, é o Caso do Mech Comander, Mechwarrior Vengeance, Mechwarrior etc.

A diversidade de mundos com sua fauna e flora alienígena possibilitam inúmeras aventuras


       Para os fãs da FASA da velha guarda (como eu) é ótimo ver os jogos dessa grande empresa voltar ao mercado, e para os novos jogadores é uma saída muito divertida as opções mais comuns do mainstream não que haja muitas opções assim no brasil!). 


Fauna exótica dos planetas colonizados



Espero que todos gostem, fiquem com Deus!



Luciano Mota “Tolkien” Bastos

3 comentários:

  1. E aí Luciano, to pilhado para jogar essa sua mesa hein. Sempre gostei do universo battletech, joguei muitos dos jogos para PC da época. Você sabia que tem um jogo novo multiplayer online?

    O site é https://mwomercs.com/, chama-se MechWarrior Online, está em beta, e é possível jogar de graça. Se quiser dá para formar um grupo de amigos para jogar.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Cara, nunca tive oportunidade de jogar. Tenho o manual em português de Portugal, algo que a gente conseguiu com a geração xerox!

    Rsrsrsrsrs... parece ser muito divertido!

    Boa postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Filipe, Vem jogar conosco! Dia 19!

      Abs!

      Excluir