terça-feira, 11 de setembro de 2012

Fighting Fantasy ou Aventuras Fantasticas oldschool leve e divertido.

video
Propaganda de TV do Fighting Fantasy.


Estamos na segunda geração de jogadores de RPG no Brasil, nossos grandes mestres da primeira geração (lá de fora) como Gary Gygax e Dave Arnesosn, co-criadores do Dungeons e Dragons, já não estão mais entre nós e aqueles ainda vivos hoje com 40 ou 50 anos, como Michael Pondsmith, Mark Rein Hagen, Steve Jackson e Ian Livingstone estão indo para os netos, ou seja, uma terceira geração lá fora jogando nas GAMECONS e mesas de jantar...  aqui no Brasil a “geração xerox” já tem seus filhos envolvidos em atividades como live-actions e boardgames, só para citar Marcelo Rodrigues e Marcelo Telles, dois grandes mestres e escritores do inicio do RPG no Brasil.

Segue aqui um "presentinho" que eu criei para a coleção de Aventuras Fantásticas. Montei o layout desse escudo para impressão em bureau de impressão, ou seja, é só você levar o arquivo para uma gráfica rápida como o Bureau Power Image (www.powerimage.com.br) no Rio de Janeiro e fazer o seu. Coloquei a lista com todas as magias classes raças e perícias além de  armas serviços e etc, espero que todos gostem.



Imagem para os curiosos



                                                     Link para o arquivo do escudo


Mas no início da década de 90 no Brasil a sigla RPG não significava muita coisa pra ninguém, até que a saudosa editora Marques-Saraiva S.A. através do trabalho de gente como os tradutores Marco Antonio Esteves da Rocha e Lilia Oliveira, acreditaram na nova investida da editora e no lançamento de um produto que já era febre nas livraria Londrinas, o Fighting Fantasy, ou como é melhor conhecido no Brasil “Aventuras Fantásticas”, nome que imortalizou o tema e o produto “livro jogo”.




Na década de 90 milhares de jovens brasileiros, e em muitos casos seus pais (eu sou testemunha disso), esperavam ansiosos pelo lançamento do próximo “livrinho de capa verde”, na cabeça as dúvidas e curiosidades de sempre: Que nova aventura viria? Quais novos desafios esperavam por eles? Que novos monstros surgiriam? Seria uma aventura de fantasia medieval? Seria uma aventura de ficção científica?... Enfim, os livros da série Aventuras Fantásticas foram um grande sucesso na sua época e permitiram uma maior propagação do hobby do que qualquer RPG no Brasil até o lançamento do Advanced Dungeons & Dragons pela Editora Abril Jovem também na década de 90. 


video

Aventuras Fantásticas teve um número infinito de clones, spin-offs e produtos em outras mídias, esse é o comercial de TV do Legend of Zagor, jogo que mistura elementos de boardgame e jogo eletrônico, é simplesmente fantástico cheio de efeitos e narrativa empolgante. Mais tarde falarei de outro Boardgame da linha Fighting Fantasy o Warlock of Firetop Mauntain.





Aqui outro produto que faria sucesso no Brasil na década de 90, as miniaturas do Fighting Fantasy!



Durante o "Bum do RPG" no Brasil vimos também o Bum das aventuras fantásticas e das dezenas de suplementos que enchiam nossas estantes e preenchiam cada espaço vazio de nossas cabeças jovens e despreocupadas. 




 Propanga na querida Dragon Magazine n° 163

Mas o que muita gente não sabe é que na história dos “gamebooks” ou “solo adventures”, dos quais o maior representante é o “AF”, não foram os livrinhos de capa verde os primeiros a representar este estilo de jogo. Que o Steve Jackson do GURPS colaborou sim com os livros de aventuras fantásticas e que os ecos do mundo de Titan (mundo de aventuras fantásticas) ainda ecoam em RPGs modernos muito mais complexos e fantásticos como WARHAMMER Fantasy Role-Playing e os Jogos da mundialmente conhecida Gamesworkshop, que por falar em Aventuras Fantásticas foi fundada pelos mesmos criadores... bem, é tanta informação e é tão divertido falar de “AF" que resolvi escrever uma matéria mais longa, afinal de contas, dos oldschools, Aventuras Fantásticas fez parte da minha história, assim como de muitos jogadores da minha geração (a galerinha com 30 e uns quebrados...).
 
O Horroroso Estado de Emergência, 1° gamebook da história, 1966.

A historia dos livros jogos começa na década de 60, apesar dos RPGs só terem começado sua longa trajetória em 1973 com a criação do Dugeons & Dragons, foi a Puffin books, Penguin Books LTDA que lançou o primeiro “do-it-yourself” ou “faça você mesmo” que no caso do Aventuras Fantásticas foi imortalizado na frase “...a aventura onde você é o herói”. Com o conceito inovador de escolhas e ações limitadas pelo texto, os livros jogos encontraram na fantasia um excelente parceiro, sendo a primeira basicamente mecânica e segunda uma roupa perfeita para um sistema voltado para ação e aventura, com cenários deslumbrantes e opções de enredo infinitas.


video
Novas mídias para Fighting Fantasy


Como o horroroso “Estado de Emergência da Puffin books, Penguin books LTDA, esse sim o primeiro livro jogo do mundo, não fez sucesso, a empresa aceitou publicar o primeiro romance “do-it-yourself” de dois jovens escritores, os até então desconhecidos, Steve Jackson e Ian Linvignstone, o título, O Feiticeiro da Montanha de Fogo e o tema alta fantasia. O título fez tanto sucesso e a idéia era tão bacana e inovadora que aventuras fantásticas foi adotada por escolas, bibliotecas e grupos de jogadores que no conforto e comodidade de suas casas (antes do advento e da popularização dos “luminosos” vídeo games), podiam viver uma empolgante aventura de fantasia usando apenas dois dados de 6 faces o livro e um lápis, era um produto perfeito para introdução aos jogos de interpretação, mas a AF não pararia com os livros jogos, com o tempo o cenário de aventuras fantásticas, aquele usado na maioria de seus livros, seria adaptado em um grande volume e daria origem ao RPG Aventuras Fantásticas, que ganharia 1 livro de cenários, 3 livros de regras e um livro de monstros.



Dungeoneer, o livro de regras básico do RPG Aventuras Fantásticas, o 1°, cobre as regras de magia e combate e vem com uma aventura linear para desenvolvimento dos personagens, excelente para quem quer fazer um jogo leve e introdutório para crianças ou iniciantes.




Blacksand, 2° livro de regras da série de RPG Avneturas Fantásticas, vem com regras para aventuras nas cidades e apresenta magias clericais novas raças e classes e introduz o conceito de "magia simples" aquele usada por curandeiros, mágicos de loja e xamãs.






                    Allansia, o 3° e último livro da série aventuras fantásticas que completa o set básico e apresenta regras para aventuras no meio selvagem, apresenta novas magias, novas classes e perícias avançadas assim como novas raças, Orc, Goblin e Troll, muuuito legal, mas infelizmente não saiu no Brasil, quem tiver a chance de comprar faça! É muito divertido e completa a coleção para um classico da velha guarda, hoje ainda pode ser encontrado em sebos e lojas virtuais, e se tudo der certo, será lançado pela Jambô no devido tempo.


 Titan, livro de cenário de Aventuras Fantásticas com mapas, gráficos, raças, historia, deuses e muito mais, a forma mais bacana para um iniciante começar a jogar RPG.

Out Of The Pit, o livro dos monstros de Aventuras Fantásticas, muitos monstros com ilustrações e detalhes que você só encontra aqui, indispensável para mestres de AF.




SIM, MAS COMO FUNCIONAM OS LIVROS “AF”?

Os livros da série aventuras fantásticas possuem uma mecânica com regras bastante simples, com algumas variações de livro para livro os atributos básicos de um personagem são:
HABILIDADE: trata-se da habilidade e combate do herói e sua competência em infligir danos ou usar força. (é definida com lançamento de 1D6+6).

ENERGIA: trata-se dos “pontos de vida” do personagem, sua capacidade de suportar dano físico, ferimentos e etc (é definida com lançamento de 2D6+12).

SORTE: a sorte cobre todos os testes onde o destino pode ser alterado, a sorte é usada tanto para alterar resultados ao longo da história, quanto para aumentar o dano causado ou diminuir o dano sofrido, afinal de contas, um herói é um ser escolhido pelos deuses para trilhar o caminho da glória, ou da ruína em alguns casos! (é definido com lançamento de 1D6+6)

Todas as habilidades são testadas com rolamentos de D6 e os testes são feitos rolando-se 2D6 e somando o resultado aos atributos listados acima, quanto maior melhor para o combate e quanto menor melhor para sorte.
Vários outros livros da série acrescentam atributos como MEDO, SANIDADE e MAGIA e os livros de RPG da série “AF”, possuem perícias que mudam drasticamente as capacidades de seus heróis.

 Buttons inspirados em AF, 'Habilidade 12 e Energia 24" é o melhor kkkkk muita sorte nos dados.


RPG ou Livro Jogo?


É importante lembrar que apesar de estarem focados nas temáticas dos jogos de RPG e possuírem sistemas de regras muito similares, os livros jogos NÃO SÃO jogos de RPG, assim como os vídeo games com a sigla “RPG” que na verdade também NÃO SÃO RPGs.

Para esclarecer esse princípio vamos aos fatos, todo livro jogo tem começo meio e fim assim como um romance uma novela ou uma peça teatral, numa mesa de RPG as opções são infinitas. Do mesmo modo no videogame, onde você só pode fazer o que foi determinado pelos programadores, você não tem liberdade para porexemplo: ...amigo, tenta jogar um punhado de areia no rosto de Orc num combate em WOW que eu pago pra ver meu filho! Nas mesas de RPG o limite é sua imaginação, ou seja, manobras arriscadas no candelabro da taverna, canecas, cadeiras e baús sendo usados como arma, tudo é possível e o limite é imposto apenas pela sua criatividade e interpretação das regras, sendo assim, quando vocês estiver jogando um livro jogo, ou estiver aniquilando personagens da aliança no WOW lembre-se: um livro é jogo é um Livro Jogo, assim como WOW ou Guild Wars trata-se apenas de um jogo eletrônico e não do RPG de verdade.




           Ilustração para O Retorno do Feiticeiro da Montanha de Fogo, outro clássico fantástico.


video
 
E por falar em novas mídias! Steve Jackson em pessoa fala sobre o Fighting Fantasy Para Kindle.

UM SISTEMA DE RPG COMPLETO COM SUPLEMENTOS ATÉ EM ROMANCES

AF não ficou só nos livros jogos e nos RPGs, a franquia deu origem a uma série de romances entre eles dois que foram publicados no Brasil, são eles As Guerras de Trolltooth e Demonstealer, eles contam as aventuras do herói Chadda Darkmane e apresentam outros grandes personagens do mundo de Aventuras Fantásticas como zharradan Marr e Balthus Dire, seguem as capas e seus protagonistas.

                     As Guerras de Trolltooth, aventura a moda antiga muito divertida.

 Demonstealer, muito boa aventura que trata tanto do grupo de heróis quanto dos vilões, boa leitura.
 
Shadow Master, infelizmente nunca lançado no brasil, fecharia os 3 romances básicos (pois ainda temos 4 das Crônicas de Zagor) esse infelizmente ainda não esta na minha coleção... mas virá!

Na proxima parte....
Na próxima partre deste post sobre Aventuras Fantásticas vamos comentar os lançamentos no Brasil tirar duvidas e falar de curiosidades sobre a linha e o futuro do Fighting Fantasy que lá fora já relançou a linha de RPG básica, que podemos esperar para o Brasil se a Editora Jambô continuar o execelente trabalho.

E vem aí documentário sobre o Fighting Fantasy e a dupla Steve Jackson e Ian Livingstone, aguardem na próxima parte!

Abraço para todos e fiquem com Deus!

Luciano Mota "Tolkien" Bastos

17 comentários:

  1. Muito bom, Luciano. Escreve mais quando der.

    ResponderExcluir
  2. Caramba! Não sabia que Allansia tinha saído em português!!! :-O

    As Guerras de Trolltooth foi um dos meus livros favoritos durante a pré-adolescência. Como eu lia e relia esse livro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Allansia não saiu no Brasil... Também fiquei confuso, mas arrisco dizer que essa capa é de um exemplar de Portugal.

      Excluir
  3. Muito bom o post, mas só pra constar, acho difícil a Jambô traduzir o Allansia pois ano passado o RPG Aventuras Fantásticas ganhou uma nova versão, eu mesmo a adquiri e recomendo muito:
    http://www.arion-games.com/AFF.html

    ResponderExcluir
  4. O Advanced Fighting Fantasy já foi relançado também. Aliás, até pouco tempo, estavam com um financiamento coletivo para o Blacksand!

    ResponderExcluir
  5. David, você não está falando do Advanced Fighting Fantasy certo?.... peraí, já sei é isso mesmo! É eu falo sobre eles também! Mas o que me levou a fazer o escudo foi justamente isso!

    Brega, vou continuar a escrever!

    Diogo, tô na espectativa, o Titan o Out of The Pit e o Dungeoneer já saíram!

    Obrigado a todos por comentar!

    Luciano Tolkien

    ResponderExcluir
  6. Ótima matéria! Sou muito fã da série e tento colecionar e ler tudo que que saiu em português(inclusive livros de Portugal).
    É uma pena que não chegaram a lançar o Allansia, Shadowmaster e Crown of Kings. Espero que a Jambô corrija isso futuramente.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado "Cuenaca007"

    O Crown é a ultima campanha não?

    Abs

    ResponderExcluir
  8. O Crown of King( A Coroa dos Reis) é a ultima parte da série Sorcery. A gente teve os três primeiros publicados aqui e faltou só esse. Além da ultima parte das aventuras mitológicas que também ficou faltando!
    Esses todos, Allansia, Shadowmaster, Crown of Kings e Return of the wanderer acho que são os que realmente fazem falta por aqui por serem continuações de publicações anteriores em português. Espero que qualquer hora apareçam por aqui de alguma forma!

    E ficou ótimo também o escudo. Se tivesse saído antes( e eu tivesse visto...) eu teria impresso e usado na aventura de Dungeonner que mestrei no RPG4N aqui em Porto Alegre! Na próxima eu já estarei preparado!

    ResponderExcluir
  9. Fina sua postagem, Luciano! Tb Sou fanzasso d AF!

    Tô até criando um rpg retro-clone dele. O cenário é o msm, mas as regras são + realistas. Pq acho q Habilidade, Energia, Sorte e Habilidades Especiais é mto pouco pra um jogo d rpg. Já tem quase 4 anos q eu estou escrevendo, testando e, muitas vezes, recomeçando td outra vz. E tudo sozinho, pelo menos a parte de escrever o livro, já q sem grupo num dá pra fazer playtest.

    E a respeito disso q eu queria trocar uma idéia contigo, pois vi q vc tb grada mto do AF. Vamos trocar uma idéia por e-mail.

    eusouumasalsicha@yahoo.com.br

    Vlw.

    ResponderExcluir
  10. Num rompante recente de conhecer o jogo (eu já vinha colecionando os livros lançados pela Jambô) eu adquiri vários títulos, como os dois romances, os dois livros do RPG avançado e livro de aventuras O Saqueador de Charadas... Estou gostando muito, principalmente dos romances, As Guerras de Trolltooth e Demonstealer - Ladrão Demônio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michael, os livros de Fighting Fantasy são excelentes, as pessoas subestimam essa linha dada a natureza simples do sistema, mas narrei uma aventura no evento com veteranos que adoraram! É importante Lembrar que o Steve Jackson e o Ian Livingstone são dois game designers e escritores renomados no mundo dos Fantasy games, e são os fundadores da Games Workshop, ou seja, como eu falo na matéria, existem ecos de Allancia em todo o mundo de Warhammer! Obrigado!

      Excluir
    2. Espero muito que o sucesso da linha Fighting Fantasy sendo lançada pela Jambô abra precedentes para o lançamento dos livros extra-livros-jogo... Os livros "Out of the pit" (bestiário) e "Titan" (livro descritivo, sobre o mundo) são difíceis de achar e MUITO caros, quando encontrados.

      Excluir
  11. Ótimo sistema...sem palavras...inclusive compilei as regras em um pdf, já que as mesmas vieram fragmentadas em tantos livros. Confiram aí...
    http://www.4shared.com/office/nVUh41oM/Compilao_de_regras_v1.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CARACA, ARY!!! Mto boa compilação. Uma mão na roda para mestres. Vlw cara. Só faltou as regras contidas no Allansia. Devo ter o pdf dele em algum lugar, quem quiser entra em contato. Flw.

      Excluir