terça-feira, 20 de novembro de 2012

A Queda de Arnor - Mesa para o SDM de Novembro!



Olá Pessoal, estou eu aqui mais uma vez para postar informações sobre minha mesa no SDM, geralmente posto informações sobre os temas e personagens para que os jogadores possam conhecer as opções no dia do jogo, mas também sempre coloco mais informações sobre o próprio cenário e o sistema, para que os jogadores também "ampliem" seu leque de conhecimento sobre o mundo Hobby do RPG.

Desta vez, volto ao mundo que, na minha opinião, é o melhor cenário de fantasia já escrito, pelo qual tenho um “respeito religioso”, a Terra Média de J.R.R. Tolkien, que recentemente está sendo revisitada nos cinemas e no universo dos jogos de RPG, através de lançamentos como o filme “O Hobbit, Uma Jornada Inesperada” e o RPG The One Ring, recentemente publicado pela editora Devir como “O Um Anel”, apresentado ao SDM pelo amigo e parceiro Diogo Nogueira do "Pontos de Experiência".

Escolhi para esse cenário o ano de 1974 da Terceira Era. Ano de importantes acontecimentos em Eridor, quando Angmar se volta para seu grande ataque a Fornost, capital de Atherdain, último reino de Arnor à resistir a Coroa de Ferro do Rei Bruxo.

         99% das informações contidas aqui são retiradas de material oficial sobre a Terra Média, como os apêndices de O Senhor dos Anéis (páginas 1100 á 1106, Eriador, Arnor e os Herdeiros de Isildur), edição especial para colecionadores , Os Contos Inacabados, O Atlas da Terra Média, de Karen Wynn Fonstad e suplementos para o RPG Merp, e O Senhor dos Anéis da Editora Decipher. 

             Sem mais delongas aqui vai a história de Arnor, dos reinos do norte de sua queda e da destruição de Angmar.

                                                  *         *         *

 Criei este mapa para facilitar a visualização dos Reinos, uma vez que eles não constam dos mapas originais.

Eriador era antigamente o nome de todas as terras entre as Montanhas Sombrias e as Montanhas Azuis; ao sula região fazia divisa com o Rio Cinzento e o Glanduin, que deságua nele acima de Tharbad.

Em seu apogeu, Arnor incluía toda Eriador, com exceção das regiões além de lûn, e as terras, e as terras a leste do Rio Cinzento e do Ruidoságua, nas quais ficavam Valfenda e Azevim.  Além de Lûn as terras eram élficas, verdes e tranqüilas, nunca visitadas por homem algum; mas os anões moravam, e ainda moram, no lado leste das Monatnhas Azuis, especialmente nas regiões ao sul do golfo de Lûn, onde eles têm minas produtivas. Por esse motivo eles tinham o costume de ir para o leste pela Grande Estrada como haviam feito por longos anos.

Mas em Arnor, após Elendil e Isildur houve oito altos reis. Depois de Eärendur, devido dissensões entre seus filhos, o reino foi dividido em três: Arthedain, Rhudaur e Cardolan:

                                                         
                                                         *          *          *


Atherdain: O mais poderoso dos reinos do norte. Ficava no Noroeste e Incluía a Região entre o Brandevin e Lûn, e também as terras ao norte da grande estrada, até as colinas dos ventos. Continuou sendo regido pelos herdeiros diretos de Isildur, e sua capital era Fornost. 


Rhudaur: Ficava no nordeste, entre a Charneca Etten, as Colinas do Vento e as Montanhas Sombrias, mas incluía também o ângulo entre o Fontegris e o Ruidoságua era o menor e mais fraco dos reinos dos Dúnedain.


Cardolan: Ficava no sul, sendo suas fronteiras o Baranduin, o rio Cinzento e a Grande Estrada. Cardolan era também guardiã dos Tyr Gorthad conhecidos também como Colínas dos Túmulos, local dos túmulos ancestrais dos pais originais dos Dúnedains, local sagrado de honra, pesar e respeito construído desde a 1° era.


O Rei dos Bruxos de Angmar

Foi durante o reinado do oitavo rei de Atherdain, Malvegil, que o mal chegou a Arnor e começou a crescer em Angmar, uma terra desolada e deformada, cuja área compreendia toda a região entre as montanhas, uma terra habitada pelos Numenorianos Negros, Orcs, Trolls e outras criaturas malignas, alojada nas Charnecas Etten no extremo norte. Lá, um grande feiticeiro conhecido apenas como O Rei dos Bruxos dominava com mãos de ferro, ele assumiu a coroa de ferro apenas com um propósito, destruir os reinos do norte e acabar coma linhagem dos reis de Númenor.

Carn Dûn, capital do Reino de Angmar
Lá o Rei dos Bruxos construiu uma grande fortaleza para servir como centro de controle dos Numenorianos negros e das tribos de Trolls do norte, sua Capital, Carn Dûn.


Em meio a este mal crescente o Rei Argeleb, filho de Malvegil de Atherdain, e não havendo mais nenhum descendente de Isildur nos outros reinos proclamo-se rei soberano de toda Arnor, mas Rhudaur opôs-se à reivindicação, Alí os Dunedain eram poucos e o poder fora tomado por um senhor maligno dos homens das colinas, que tinha uma aliança secreta com Angmar. Argeleb então moveu suas tropas para acabar com a revolta em Rudahur, e fortificar as Colinad do Vento, mas Angmar estava de prontidão, e preparados para invadir o reino mais fraco, acabaram encontrando a oportunidade certa criada pelo conflito em Rudahur, e nesta batalha contra Rudahur e Angmar o rei Ageleb foi morto, sua esperança de unificar os reinos do norte foi estilhaçada, sobre o campo de batalha devastado. 
 
 Morre o Rei Ageleb de Arnor
 
O Rei Bruxo ordena seu novo ataque


O Traidor de Rudahur,  Raudar se une a coroa de ferro como capitão dos exércitos do Rei Bruxo, enquanto seu povo sofre sobre o julgo de seu novo mestre.

Mas os Reis do Norte não estavam derrotados, a região fortificada protegida pela torre de Amon Sul ao longo das Colinas do Vento continuou como escudo protegendo Atherdain a Grande Estrada e o Baixo Fontegris além de sua capital Fornost, coração de Arnor. Seu novo Rei Arveleg, filho de Argeleb, com a ajuda de Cardolan e dos Elfos de Lindom, mantiveram por anos o avanço de Angmar em cheque ao longo da cordilheira.

Os exércitos de Angamr preparam-se para o ataque a Fornost.

Usando o poder da Palantir de AmonSûl, Arveleg, previu cada ataque e estratégia de Angmar, o Rei Bruxo teve de tomar uma decisão arriscada e ousada, atacar diretamente a fortaleza de Amonsul, para isso  em 1409 criou uma estratégia, movendo seus exércitos secundários para atacar as forças dos elfos e de Cardolan, enquanto que o corpo principal do exército atacava AmonSûl diretamente, assim um dos grandes bastiões do norte caiu em ruína, não resistindo a fúria de Angmar. Mas a vitória de Angmar não foi completa, O Rei Arveleg escapou de AmonSul com a maior prêmio de todos a Palantir, então o Witchking manda seu general, Khamûl recuperar a pedra. Neste ínterim os feiticeiros de Angmar que passaram séculos estudando as artes negras preparavam-se agora para liberar um novo terror sobre toda Arnor.
 
 Rei Arveleg usando a Palantir de AmonSûl

                1974 da terceira era. É aqui que os personagens dos jogadores entram para ajudar a comitiva de Arveleg a fugir com a Palantir através do campo de batalha desolado e através das terras devastadas infestadas de espiões e patrulhas de Angmar.


Ma continuando com o texto sobre Arnor...


 As Criaturas Tumulares são envidas para as Colinas dos Túmulo, terror para os Dunedain.

Depois da queda de AmonSûl, e em vez de atacar Fornost, como as forças do Norte esperavam, o Rei Bruxo aproveitou que os exércitos de Cardolan ainda estavam nos campos de batalha e mandou seus tenentes Raudar e Rogash (o troll)  para as Colinas dos Túmulos, local mais sagrado de Arnor para os Dunedaon, vendo seus sítios sagrados em perigo, Cardolam se vê obrigada a entrar em guerra. Mas por todos os lados em que o exército de Angmar marcha só resta morte e desespero. Cardolan é destruída e seu povo reduzido a bandos em fuga refugiados em florestas ou nas Colinas dos Túmulos escondendo-se da sobra do exército de Angmar. Agora só restava o reino de Atherdain e as forças em Fornost eram a única defesa contra o domínio total de Arnor pela Coroa de Ferro. 

Queda de Cardolan

Em uma última tentativa de revide, os elfos de Rivendel, Lindon  e Lothlorien marcham contra Angmar, neste combate Angmar perde seus comandantes mais importantes e a Coroa de Ferro recebeu um poderoso golpe, mas o Rei Bruxo não iria desistir de seu intento, e sabia que suas forças se restaurariam mais rápido do que as de Arnor. 
 
Elrond de Valfenda lídera o ataque contra Angmar

Os Dúnedan de Arnor acharam que o ataque élfico ao exército de Angmar havia lhes proporcionado tempo para seu reino se reerguer, mas em fúria pela derrota momentânea, Angmar envia seus feiticeiros através das terras de Arnor para libertar um peste terrível e profanar seus túmulos sagrados nas regiões onde os refugiados se escondiam, liberando espíritos malignos que usando os corpos decompostos de seus antigos reis espalhou o terror e a morte entre os Dunedain, esses seres malignos ficaram conhecidos como “as criaturas tumulares”, seus ataques somados a peste e as mortes provocadas por seus agentes covardes enfraqueceram ainda mais as forças de Arnor que tentava se recuperar de sue último infortúnio. Mas o Rei Bruxo ainda não estava satisfeito. Muitos anos se passaram para que a grande praga devastasse os reinos do Norte, em grande segredo as forças de Angmar foram refeitas e uma ultima investida seria lançada sobre seu bastião derradeiro, Fornost.
 
Cai fornost, ultimo bastião do Norte
Mas os homens do norte não são facilmente derrotados, e juntando todas suas forças e aliados se preparam para este último combate. Mas o martelo de Angmar caiu sobre Fornost transformando o antes orgulhoso reino em cinzas e fogo. 

 Aliança dos Elfos de Lindom, Lothlorien, Valfenda e dos Homens de Gondor

Preocupados com a ameaça de Angmar, que poderia acabar com todos os reinos do Note o rei de Gondor assim como Elrond em conselho com outros aliados formam uma aliança para acabar de uma vez com o mal de Angmar. Os Elfos, convocados pelo Lorde Glórfindel que marcha com Elrond ao seu lado seguido pelas forças de Gondor e pelos Dúnedain sobreviventes de Arnor, realizam um ataque total a Angmar que em anos se vê para sempre destruída, os elfos e homens acabaram com tudo que representa-se a coroa de ferro.

Karn Dûn é destruída, cai Angmar

Em sua resistência final o Rei Bruxo foi enviado de volta a Mordor, e neste momento de fuga Glorfindel faz sua previsão profética onde afirma que nenhum homem será responsável pela sua destruição.


*          *          *

                  Bem pessoal, essa é a história da queda do Reino de Arnor, na minha opinião um dos períodos mais bacanas para se ambientar aventuras de RPG na terra média, muitos locais maravilhosos como Moria, os reinos de Arnor, além das colinas dos túmulos e Lindon ainda são bastiões fantásticos na Terra Média, grandes líderes dos elfos ainda vivem na terra média e os anões tem poder além da conta em seus corredores.

            As fontes desta pesquisa incluem, os apêndices  de o Sr. dos Anéis, Contos Inacabados, Arnor do MERP Publicado ICE, o site Válinor que tem uma das melhores pesquisas sobre os Nazgûl que eu já li e o material do Próprio Sistema do Senhor dos Anéis o RPG da Decipher, a arte vem do maravilhoso vídeo Tales from Middleearth que usa o “artwork” do jogo Battle For Middle Earth II, the Rise of Witch King!.
*          *          *
 Abaixo seguem as planilhas dos persoangens para os jogadores e mestres usarem, tive que adaptar informações e certas perícias para combinar com época e tema (o que no sistema CODA é bastante simples uma vez que as perícias podem ter subcategorias definidas pelo mestre ou jogadores).


Anathar é soldado de Arnor, lutou ao lados das tropas de Cardolan contra Angmar e foi enviado do Rei Arveleg á Rudahur durante a revolta. Soldado dedicado e leal a seu reino é amigo inseparável do nobre Arvernuin, primo do Rei Arveleg. Ele daria a vida or seu reino, seu Rei e seus amigos.




Arvenuin é da linhagem de reis de Arthedain, veterano de guerra é leal a seu primo, o Rei Arveleg e segue com propósito ferrenho de acabar com o mal de Angmar. Odeia os feiticeiros Agmarin que profanaram os túmos sagrados de seus ancestrais em Cardolan e jurou vingança por esta afronta.



Bolger é um Hobit calejado criado na antiga cidade de Bree, já viajou muito através do Caminho Verde e da Grande Estrada do Leste, viu de perto a selvageria de Orcs e Humanos mais de uma vez, a aprendeu que para sobreviver deve ser mais esperto, rápido e inteligente que ambos.




A serviço de Lindon, e sob o banner do último dos Altos Reis dos Noldor, Gil-Galad (morto durante a batalha da ultima aliança), Glórion viaja por toda Eriador em busca de informações e ajudando os Dunedain a combater a sombra de Angmar. Leal e honrado é famoso no norte, conhecido como "aquele que caminha". Glório ama Arda como nenhum outro ser sobre esta terra, e gostaria muito de poder atravessar sua lâmina élfica no peito morto vivo do Rei dos Bruxos.



Gror Iron Doom é o agente do rei sob a montanha da cordilheira das Monatnhas Azuis, ele representa muitas casas de anões que podem traçar sua linhagem até os sete paes ancestrais dos anões. Ele é furia pura no campo de batalha e já lutou ao lado de Homens, Hobbits e Elfos. Gror tem a missão de trazer informações sobre o avanço de Angmar caso ele represente uma ameaça aos reinos das Montanhas Azuis
 





Thraldar foi aprendiz do Mago Palando o Azul, um dos Istari que após anos de pereginação pelo note, foi para o sul da Terra Média tentar ajudar os humanos de Harad. Thraldar é conhecido em Valfenda com "Anurin" e em Bree como "Seleanno". É um explorador que conhece bem a história de Arnor e de toda Eriador, busca continuamente pelos segredos escondidos em velhas ruínas e sítios de conhecimento e sabe do poder destrutivo e da ameaça representada pelo Rei dos Bruxos aquem se opõem o máximo que pode. Thraldar ajuda de bom grado os elfos de Lindon e os homens de Atherdain que já lhe prestaram ajuda mais de uma vez em sua vida.




 
Espero que todos gostem!

Lembrando que esta mesa é dedicada ao pessoal do Conselho Branco, grupo que vem realizando uma parceria com o SDM através de seu Thain (que vos escreve!) e de seus membros sempre presentes como André Guia, Pedro Muniz entre outros.

Fiquem com Deus! E que as Graças de Erú recaiam sobre todos vocês!

Luciano Mota “Tolkien” Bastos
Co-organizador do SDM e Thain da Toca RJ

8 comentários:

  1. Que material fantástico!

    Já mestrei muito (muito mesmo) na Terra Média em três eras diferentes abordando regiões distintas! Seu material é fantástico, muito mesmo, como fiquei curioso em vê-lo mestrando!

    Seria incrível!

    Parabéns!

    Eu não conhecia algumas destas imagens, estão muito bem criadas! Este troll que sempre surge como guarda-costas do necromante é um olog-hai?

    O Atlas da Terra Média é o único que me falta, mas já coloquei minhas mãos nele por alguns dias! Fascinante!

    Obrigado por compartilhar! Parabéns SDM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Heitor!

      Realmente é período fantástico da história de Arda para narrar aventuras! E sim, é um olog-hai, este nome só é conhecido por jogadores de MERP ou fãs de Tolkien!

      Excluir
    2. Será?

      Nem sou tão conhecedor... amo a obra, mas há muito que ainda não sei.

      Bem, eu moro em MS, então não poderei jogar... mas se puderes me enviar a aventura para que eu possa dar uma olhada na construção da mesma... =P

      Sem querer ser inconveniente, claro ;)

      Nunca joguei MERP, somente SdA d20 mesmo do grupo Valinor. ;)

      Parabéns novamente!

      Um grande abraço!

      Excluir
  2. O anão é meu e ninguém tasca! rsrs

    ResponderExcluir
  3. Se possível, gostaria de jogar com o Anathar!

    ResponderExcluir